Despedida de uma amiga que tínhamos em comum, ou melhor, ela era minha amiga e você tinha ido porque seu irmão era namorado da melhor amiga dela. Naquela pizzaria que em tal dia estava pouco cheia. Você tinha chegado atrasado e só tinha uma cadeira vaga na nossa mesa, cadeiraessa que estava ao lado da que eu estava sentada. Mal nos conhecíamos,tínhamos nos visto algumas vezes, mas eu nem ligava, afinal, você era só mais um menino qualquer. Mas naquele dia, conversamos como se nos conhecêssemos a anos, mas claro, tinha a sua ex-namorada que estudava comigo e também estava conversando conosco, mas não importava, a gente estava se dando tão bem. Você estava usando um boné de aba reta -que te deixava lindo por sinal- e sua ex-namorada, brincalhona que era, tinha pegado ele e não queria te devolver, sem ao menos eu ver ela tinha jogado ele pra mim, e por impulso, ao pegar ele, sai correndo. Você correu atrás de mim, eu já cansada, parei. Você segurou meu pulso e apertou para que eu lhe desse o boné, naquele momento eu reparei que eu era tão pequena e que você era tão gigante. Olhei dentro do seus olhos, afinal, acho olhos/olhares encantadores. Mas menino, foi você que me hipnotizou, não é mesmo? Por um momento eu sei que ia te beijar, não sei, naquela hora eu entrei em transe como nunca entrei outra vez na minha vida. Sua ex-namorada apareceu, eu te entreguei o boné, saímos e ficou por aquilo mesmo. Hoje eu sei, que foi naquele dia que tudo começou, foi quando eu enxerguei você e deixei você me envolver nesse sentimento.

“Tô tirando férias, dando um tempo disso, chega de amar, chega de me doar, chega de me doer.” – Caio Augusto Leite. E foi realmente isso que aconteceu, eu me dei férias de tudo isso, em partes porque eu realmente quis, mas em partes porque de tanto me doer, adormeceu, é, o sentimento aqui dentro adormeceu. E por mais incrivél que pareça fiquei feliz com isso, eu já tinha entendido que preciso me por em primeiro lugar, que tenho que me amar primeiro pra depois amar alguém, só que colocar em prática que é bom, nunca tinha conseguido. Mas acredito que agora, agora que ta tudo adormecido, vai ficar mais fácil de fazer isso. Sinto que uma onda de calmaria está chegando e só de sentir de longe que ela há de chegar, me ponho feliz em meio a esse mar de ilusão.

“Minha memória não é curta para as coisas realmente importantes. Posso não lembrar alguma tabuada ou a conjugar algum verbo, mas lembro do dia em que mais me fez sorrir. Seu amor é bem-vindo e agradável, pois é amizade. Mas não posso omitir que minha capacidade de aguentar tácito minha vontade de cobrir-lhe de amor vai se acabando a cada vez que te encontro. E se desgasta. Amor é um lugar, não um objeto que se presenteia. E enquanto lhe espero em pé, suportando todo tipo de nevasca, chuva e sol forte aqui nesse amor que estou, te espero chegar pra me ajudar a atravessar esses tempos difíceis.
Posso ter esquecido do que falamos ontem, mas ainda lembro da primeira conversa. Foi sobre coisa boba, sentados no pátio, faz um tempo já. E desde que você me mostrou que é como se fosse minha outra metade, que é capaz de me fazer gostar de uma música, nem meu estilo, só porque você a ouve, fui lá pro amor, que é um lugar deserto enquanto você não chega, pra te esperar.
Mas ficar sozinho no amor é muito ruim. Por isso, aviso-lhe que este é uma espécie de ultimato. Passo dia após dia te vendo aí, no sol, feliz. Já foi até pra outro amor. Então, peço-lhe desculpas, mas minha força pra aguentar diversidades, como tinha animado no começo, já não existe mais. Sobrou apenas um resquício de esperança que guardo no coração. Coração é um recipiente, onde guardo minhas emoções. Ele já está cheio, não cabe mais nada e, sinceramente, já estou cheio também. Por meus pés estarem já cansados e calejados dessas longas caminhadas pelo amor, que é um lugar surpreendentemente grande, já vou indo embora. Só um aviso: Se você resolver aparecer, eu volto na hora.” – Fabricio Henrique

Tenho escutado algumas coisas que podem até parece malucas, mas que fazem sentido, fazem. Não é que eu queira que seja possivel, é que de certo ponto até é mesmo. O bom disso é saber que ao menos uma certeza eu tenho, a certeza de que sempre vamos estar juntos, sendo amigos, irmãos  ou namorados, o futuro tem algo pra nós, assim mesmo, nós, juntos.

Acho tão engraçado que uma hora somos casados e já temos os nomes dos nossos filhos, outra hora somos irmãos e já outra hora somos melhores amigos, e tudo em um só dia. Bonito isso de sermos tudo, não acha?

Eu te gosto assim, de você me enchendo o saco, me mordendo, apertando minhas bochechas, falandou pouco no celular, de você dizendo ‘pois é né’, de você me chamando de burra, me abraçando de um jeito que é sem explicação o  que eu sinto. Porque nossa amizade é assim, simples, mas o nosso amor é infinito!

Recordo-me de cada palavra pronuciada e de cada toque em minha pele. Embriago – me nessa saudade e doce nostalgia. Cada momento com uma intensidade inigualavél, poucos porém de tão grande importância e de tanta singeleza que ficaram marcados aqui dentro de mim por toda a eternidade. Pense o que quiseres, porque já eu nem penso mais o que é tudo isso, se é amor, paixão ou simplesmente saudades de lembranças que ainda vivem em mim.